Como repor a vitamina D durante a quarentena?

De acordo com a especialista da PROTESTE, Fernanda Taveira, o nutriente pode ser obtido por meio da alimentação e de produtos fortificados

Como repor a vitamina D durante a quarentena?

Em meio à quarentena ocasionada pela pandemia do coronavírus, surge mais uma preocupação em relação à saúde. Passando tanto tempo dentro de casa, como vamos nos expor ao sol e manter as concentrações adequadas de vitamina D no sangue? Apesar de ser a mais famosa fonte deste nutriente, o sol não é a única forma de obter vitamina D, conforme explicou a especialista em Nutrição da PROTESTE, Fernanda Taveira, em mais uma live da série Tête-à-Tête com a PROTESTE, realizada na quarta-feira (01/04), no Instagram da associação.

Descubra como ter uma renda nesta quarentena sem sair de casa.

“Nem todo mundo possui uma varanda ou um quintal para tomar sol durante esse período. Porém, isso não precisa ser motivo para preocupação. Podemos alcançar a recomendação diária de vitamina D por meio da alimentação”.

A nutricionista explicou que a vitamina D está relacionada ao fortalecimento imunológico, portanto, é fundamental para o organismo, especialmente neste momento. 

Mas quais alimentos são fonte de vitamina D?

De acordo com Fernanda, os alimentos que contém o nutriente são eles os peixes, como salmão, sardinha, atum, o óleo de fígado de bacalhau, cogumelos e os ovos”. O nutriente também é encontrado em produtos fortificados, como os cereais, margarina, iogurtes e o leite. Por isso, é importante olhar o rótulo dos produtos no mercado. 

Manter uma dieta que conte com todos os grupos de alimentos é essencial nesse período. “Isso inclui proteínas, gorduras boas, vitaminas e sais minerais. Eles vão ajudar tanto na prevenção de infecções, como na recuperação de doenças”.

Dica: Vitamina C: alimentos são a melhor forma de obtê-la

Fernanda ressaltou, no entanto, que não há comprovações de que a vitamina D tenha alguma relação com a prevenção e o tratamento do coronavírus. “Não há estudos científicos sobre isso. O que sabemos é que ela é tão importante quanto os outros nutrientes (zinco, selênio, vitaminas A, C, e E). O que sabemos é que o estado nutricional adequado de vitamina D previne gripes, resfriados e infecções do trato respiratório”.

Como evitar comer demais durante a quarentena?

Outra questão que vem assombrando muitas pessoas durante a quarentena é a alimentação em excesso, decorrente da ansiedade ocasionada pela pandemia. Para ajudar a reduzir a gula, ela recomenda alimentos relacionados à imunidade, que também contribuem para a redução da ansiedade. “Além disso, a sugestão é fazer escolhas que ajudem a aumentar a serotonina, como banana com aveia”. 

É importante beber água, mesmo antes de sentir sede. Tenha o hábito de manter sempre uma garrafinha de água por perto.

Fernanda também dá a dica de não comprar alimentos calóricos e gordurosos. “Se você não comprar quando for ao mercado, não vai ter como comê-los quando bater a gula”.

Para fortalecer a imunidade e ajudar na saciedade, a água também é um fator fundamental. “É importante beber água, mesmo antes de sentir sede. Tenha o hábito de manter sempre uma garrafinha de água por perto, seja assistindo televisão ou trabalhando, para não esquecer de beber. Outra dica é colocar pedaços ou cascas de frutas para dar sabor e adicionar nutrientes”.

Boa alimentação contra o coronavírus

A COVID-19 é uma doença que tem um maior impacto em pessoas com doenças crônicas, mas também pode ser perigosa para quem simplesmente está com a imunidade baixa. E como a boa alimentação é fundamental para uma boa saúde, a PROTESTE preparou um guia para você manter uma alimentação saudável durante a quarentena, inclusive com dicas para você organizar o seu cardápio e o preparo das refeições.

live da Fernanda Taveira
Clique aqui pra ampliar a imagem.

Guia PROTESTE para o Consumidor - informações práticas sobre seus direitos na quarentena

LEIA AGORA GRATUITAMENTE arrow_right_alt