Melatonina: mitos e verdades

Produzida naturalmente pelo organismo, a melatonina é um hormônio conhecido como indutor do sono. Por isso, muita gente consome a substância para dormir bem; mas, será que funciona?

Melatonina: mitos e verdades

Embora seja um hormônio produzido de forma natural pelo organismo, muitas pessoas com dificuldade para dormir consomem suplementos de melatonina, na expectativa de melhorar a qualidade do sono e, com isso, conseguirem maior disposição e bem-estar.

A substância, que não tem registro no Brasil como medicamento, pode ser manipulada, com prescrição médica, de acordo com regulamentação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

No entanto, a agência reguladora alerta que além de não haver medicamentos registrados no Brasil contendo melatonina como princípio ativo, sua venda é proibida por sites nacionais. Fora no país, nos Estados Unidos e na Europa, porém,  a melatonina é comercializada livremente em farmácias e até em supermercados. Porém, o consumo excessivo traz o risco de efeitos colaterais.

Além disso, ainda não existe consenso sobre o melhor horário para ingerir a melatonina nem qual a dose adequada para casa pessoa. Por isso, existem vários mitos e verdades relacionados ao seu consumo. Quer entender melhor? Confira nosso post!

O que é melatonina?

Como explicamos, é um hormônio naturalmente presente no organismo. Normalmente, a produção de melatonina se inicia assim que escurece, induzindo o relaxamento e o sono. O pico do hormônio ocorre durante a noite. Assim que amanhece, com o nascer do sol e a claridade, o seu nível é reduzido. 

Existem algumas explicações para a indução da sonolência e relaxamento provocadas pela melatonina, como a redução da temperatura corporal e consequente diminuição da atividade nos centros do sono do hipotálamo.

A produção de melatonina se reduz com o envelhecimento?

Verdade. Além do aumento da idade, que leva à menor produção hormonal, a exposição à luz ou estímulos luminosos reduz a melatonina. Segundo a Sociedade Brasileira de Psicologia, o excesso de tempo na tela, especialmente no final da noite, não apenas estimula o cérebro de maneira que dificulta o relaxamento, mas a luz azul das telas pode suprimir a produção natural de melatonina, um hormônio que o corpo produz para sinalizar a promoção do sono noturna. 

Melatonina ajuda a emagrecer?

Esse é um mito, que provavelmente foi criado a partir de um fato real. A boa qualidade do sono contribui para a regulação hormonal e redução do risco de obesidade. Assim, partindo do pressuposto que a melatonina ajuda a dormir melhor, surgiu a falsa ideia de que a substância poderia contribuir para o emagrecimento.

O uso de suplementos de melatonina reduz a produção natural do hormônio?

Mito. A produção da melatonina não pode ser bloqueada quando existe excesso no organismo, ou estimulada quando há falta.

Existem riscos no consumo excessivo?

Verdade. O consumo excessivo pode causar uma série de problemas, como dores de cabeça, fadiga, confusão mental, sonolência de manhã, irritabilidade e modificação na produção de outros hormônios essenciais para o funcionamento do corpo.

Além disso, se o usuário consumir uma dose maior do que o indicado, pode desenvolver outros problemas, como a resistência insulínica.

melatonina sono
A melatonina proporciona outros benefícios à saúde?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia, quando corretamente indicada, a melatonina pode tratar distúrbios do sono e ser utilizada como um coadjuvante terapêutico em doenças neurológicas e degenerativas (como doenças do espectro do autismo, síndrome de déficit de atenção e hiperatividade, Smith- Magenis, etc) que resultam em distúrbios do sono e dos ritmos biológicos circadianos. 

Quais as principais indicações?

  • Pessoas idosas, que naturalmente produzem a Melatonina em quantidades mais baixas, devido à idade.
  • Quem trabalha no período noturno e precisa dormir durante o dia.
  • Indivíduos que só conseguem dormir e acordar mais tarde, os denominados vespertinos.
  • Viajantes que precisam se recuperar do jet lag ou querem prevenir esse problema com os fusos horários.
  • Pessoas com algum grau de cegueira, que devido à má percepção de luminosidade têm dificuldades em produzir o hormônio naturalmente.

Quando a melatonina não deve ser usada?

A melatonina deve ser evitada por pessoas com diabetes, distúrbios de coagulação do sangue, pressão arterial alta ou baixa, ou que estiverem usando qualquer medicamento para prevenir a rejeição de órgãos transplantados. Além disso, não existem estudos que atestem a segurança do uso durante a gestação ou aleitamento materno.

Você tem dificuldade para dormir? Algumas mudanças comportamentais e no ambiente podem ajudar, como ingerir alimentos mais leves à noite, evitar o uso de eletrônicos nesse período e recorrer a atividades relaxantes. Seu colchão e travesseiro também fazem muita diferença na hora de garantir o conforto. 

Quer saber mais sobre o tema? Então, descubra se seu problema de sono é temporário ou se você sofre de insônia!