Álcool em gel 70°: saiba identificar produtos irregulares

Álcool em gel 70°: saiba identificar produtos irregulares

Com a perspectiva de reabertura da economia, mais gente sairá às ruas, tornando os cuidados preventivos ainda mais importantes; veja como comprar álcool em gel 70° com segurança.

Em todo o país, várias cidades começam a flexibilizar as regras de quarentena, com a retomada de algumas atividades comerciais. Com a redução do isolamento, quem precisar retornar ao trabalho precisará ter ainda mais cuidado com as medidas de higiene, como o uso do álcool em gel 70°

Vale lembrar que, além do coronavírus, o produto contribui para reduzir a disseminação de outras doenças, como a gripe, cujo período mais comum de contaminação também coincide com a reabertura das atividades. 

No entanto, ao comprar o álcool em gel, é preciso cuidado para não levar um produto irregular ou fora das especificações corretas. A PROTESTE fez um estudo sobre as substâncias adequadas para a desinfecção correta, orientando o consumidor sobre os produtos em conformidade com as especificações. 

Qual a diferença do álcool em gel com finalidade antisséptica e cosmética?

Ao comprar, é fundamental verificar se o produto é antisséptico ou cosmético e também se tem a graduação correta. A concentração de 70% é a melhor opção para o efeito bactericida, porque a desnaturação das proteínas do microrganismo faz-se mais eficiente na presença da água.

O álcool em gel impede que a maioria dos microrganismos permaneça na superfície da pele, podendo, posteriormente, causar uma dermatite, caso seja uma das atuações desse microrganismo.

“O álcool 70 é a melhor opção, pois quando o teor é mais elevado, o produto evapora mais rápido do que o tempo necessário para atuar contra o microrganismo. Esse álcool atua entrando no interior da bactéria, por exemplo, onde irá desnaturar proteínas, ou seja, desativa-lá. Caso ele tenha menos do que 70°, não terá poder suficiente”, destacou Thiago Porto, pesquisador da PROTESTE.

Além disso, na concentração de 70%, o álcool resseca menos a pele e causa menos dermatites. “O álcool em gel impede que a maioria dos microrganismos permaneça na superfície da pele, podendo, posteriormente, causar uma dermatite, caso seja uma das atuações desse microrganismo”, explicou Thiago. “O produto pode causar ressecamento da pele caso seja usado em demasia, como atualmente. Por isso, os médicos dermatologistas indicam o uso concomitante de hidratante nas mãos”, completou.

O produto possui boa atividade contra o bacilo da tuberculose, atuando ainda contra fungos e vírus. Seu princípio ativo pode ser álcool etílico, álcool feniletílico, trietilenoglicol e propilenoglicol. A base do produto pode ser gel, inodoro e de cor transparente. 

Já o álcool com finalidade cosmética não pode conter nenhuma indicação terapêutica e nem atribuições como “bactericida”, “sanitizante” ou ser indicado para “desinfecção das mãos”. Tais termos não são permitidos para produtos cosméticos. Além disso, o produto registrado na Gerência Geral de Cosméticos não necessita informar na rotulagem o percentual de álcool contido na formulação. Os produtos podem ser identificados no mercado pelo seu número de registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que se inicia pelo algarismo 2. 

Quando o álcool é registrado como medicamento, é necessário constar as seguintes indicações na embalagem: uso externo; aplicar diretamente no local afetado, previamente limpo, com auxílio, se desejar, de algodão ou gaze. Estes produtos são indicados para a higienização e desinfecção das mãos e devem estar sempre na sua embalagem original. São identificados no mercado pelo seu registro na Anvisa, que se inicia pelo número 1. 

alcool em gel 70
O que observar no rótulo do produto?

De acordo com o estudo da PROTESTE, é importante verificar as seguintes informações:

  • os dizeres “Antes de usar leia as instruções do rótulo” devem estar em destaque;
  • “ATENÇÃO: Manter fora de alcance de crianças e animais domésticos” também em destaque. A frase deve ser localizada logo acima do símbolo de alerta, de acordo com a NBR-5991/1997;
  • “NÃO INGERIR – CONTÉM DESNATURANTE”;
  • a frase “O produto contém como desnaturante”,  seguido do nome da substância utilizada, em negrito e em caixa alta;
  • a frase “PERIGO: produto inflamável” deve ser localizada logo acima do símbolo de inflamável, de acordo com a NBR-5991/1997;
  • “manter afastado do fogo e do calor”;
  • “não perfurar a tampa”;
  • “em caso de queimadura, lavar a área com água corrente”;
  • “em caso de ingestão, não provocar vômito e consultar imediatamente o Centro de Intoxicações ou Serviço de Saúde mais próximo”.

Além disso, é fundamental que o consumidor verifique se consta no rótulo o CNPJ da empresa e o número de autorização de funcionamento. Caso encontre álcool em gel 70° irregular, é possível denunciar aos serviços de defesa do consumidor, como o Reclame, da PROTESTE. 

Nossos testes ajudam os consumidores a tomarem as melhores decisões de compra. Mas, se tiver problemas, não deixe de reclamar! CONHEÇA O RECLAME arrow_right_alt