Estudo associa bebidas açucaradas com morte prematura

Estudo associa bebidas açucaradas com morte prematura

Trabalho publicado nos Estados Unidos mostra aumento de risco de doenças cardiovasculares associadas ao consumo excessivo de refrigerantes e outras bebidas

Quanto maior o consumo de bebidas açucaradas, maior o risco de morte prematura. As informações são de estudo desenvolvido pela Harvard T.H. Chan School of Public Health e publicado na The Harvard Gazette.

O trabalho avaliou por um longo período o impacto do alto consumo de bebidas com açúcar, em homens e mulheres americanos. Por fim, a pesquisa constatou que os efeitos são maiores sobre o público feminino.

De acordo com o estudo, os riscos são, principalmente, para doenças cardiovasculares. Em uma escala menor, há também incidência de câncer.

Coração

O aumento do risco de mortalidade está associado para aqueles que consomem quatro ou mais doses dessas bebidas diariamente. O estudo também identificou que a substituição de bebidas açucaradas por outras adoçadas artificialmente pode reduzir o risco de morte prematura.

Alto consumo

Entre o grupo das bebidas com maiores índices de açúcar consumidos nos Estados Unidos, estão os refrigerantes, à base de frutas, energético e bebidas esportivas.

Embora a ingestão de bebidas açucaradas nos EUA tenha diminuído ao longo da última década, houve um aumento recente entre adultos. Atualmente, os níveis de consumo dessas bebidas estão quase excedendo a recomendação médica, que é de que as pessoas não ultrapassem o consumo de 10% das calorias diárias de açúcares adicionados.

Desenho de caveira feito co açúcar

Entretanto, o trabalho destaca que consumo também está em ascensão nos países em desenvolvimento. Isso se deve, em parte, pela urbanização e pelo marketing de bebidas, de acordo com os autores. “Nossos resultados sugerem que as pessoas limitem a ingestão de bebidas açucaradas e as substituam por outras bebidas, de preferência água. Com isso, teríamos uma melhora na saúde geral e longevidade”, disse Vasanti Malik, pesquisador do Departamento de Nutrição e principal autor do estudo.

Doenças

Anteriormente, outros estudos já identificaram a ligação entre a ingestão dessas substâncias e ganho de peso. Além disso, há relação com maior risco de diabetes tipo 2, doença cardíaca e acidente vascular cerebral. No entanto, poucos tinham analisado a relação entre a ingestão de bebidas açucaradas e mortalidade.

No novo estudo, os pesquisadores analisaram dados de mais de 80 mil mulheres e mais de 37 mil homens. Os participantes responderam questionários sobre seus estilos de vida e estado de saúde a cada dois anos.

Leia também:
– Brasil assina acordo para redução de açúcar em industrializados

– Óbito por AVC e doenças cardíacas cai entre mulheres

Após o ajuste para os principais fatores de dieta e estilo de vida, os pesquisadores descobriram que quanto maior o consumo daquelas bebidas, maior o risco de morte prematura por diferentes causas.

“Esses resultados são relacionados aos efeitos adversos conhecidos pela alta ingestão de açúcar com fatores de risco metabólicos. Há ainda a forte evidência de que a ingestão de bebidas com açúcar aumenta o risco de diabetes tipo 2, um grande fator de risco para morte prematura. Os resultados também indicam a necessidade de políticas que limitem a comercialização dessas bebidas para crianças e adolescentes”, disse Walter Willett, professor de epidemiologia e nutrição.

Além disso, ele sugere a implementação de impostos de refrigerante. “O preço atual das bebidas açucaradas não inclui os altos custos de tratar as consequências ”, conclui.

Ainda não conhece a PROTESTE? Clique aqui e entenda como ajudamos o consumidor a defender seus direitos.