Camisinha distribuída pelo governo: será que ela protege mesmo?

Camisinha distribuída pelo governo: será que ela protege mesmo?

Para verificar se a Vista-se, disponibilizada gratuitamente pelo Ministério da Saúde, garante sua segurança, levamos o preservativo ao laboratório. Confira, a seguir, o resultado.

A distribuição de camisinhas é uma das ações do Ministério da Saúde para combater a propagação de doenças sexualmente transmissíveis. Mas aí surge a dúvida: será que a Vista-se, preservativo disponibilizado gratuitamente pelo governo, é eficaz?

Após levar o preservativo ao laboratório, descobrimos que você pode ficar sossegado: a Vista-se é segura sim. Além disso, se engana quem acha que ela deixa a desejar quando comparada às camisinhas vendidas em farmácias.

Para começar, avaliamos a integridade da embalagem que envolve a Vista-se e não encontramos problemas. Ou seja, ela está devidamente protegida contra calor, umidade excessiva e contaminações – tudo aquilo o que poderia prejudicar a eficácia do produto.

A largura do preservativo é adequada não apenas para proporcionar conforto, mas para evitar que o produto deslize. A Vista-se também está em conformidade quando o assunto é comprimento. Ela respeita o tamanho mínimo de 16 centímetros (desconsiderando-se o reservatório) estipulado pela legislação. A espessura foi outro ponto positivo: a camisinha é fina o suficiente para não comprometer o prazer durante a relação sexual.

E a informação mais esperada: não precisa se preocupar, pois a chance de a Vista-se estourar é mínima. Após encher o produto com ar, como se fosse um balão, constatamos que sua capacidade volumétrica e de pressão de estouro respeita os padrões estabelecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o que diminui, e muito, a chance de ele se romper durante o uso. Conferimos ainda se a camisinha trazia orifícios. E a boa notícia é que não encontramos um buraquinho sequer.

Vale destacar que, além da Vista-se, outras sete marcas de camisinhas passaram por nosso crivo. Para ter acesso ao resultado completo do teste, clique aqui.

(Crédito: Rodrigo Nunes/MS)

Campanha durante a folia

Prevenir é Viver o Carnaval #VamosCombinar. Esse é o tema da Campanha de Prevenção do Carnaval 2018, lançada  pelo então ministro da saúde, Ricardo Barros. Segundo informações do Ministério da Saúde, foram distribuídos mais 100 milhões de preservativos para todo o país, entre masculinos e femininos.

Para garantir o seu, basta ir até um posto de saúde. Outra opção é ligar para o Disque Saúde, no número 136, para buscar mais informações. Saiba ainda que em todo o país homem e mulher camisinha vão promover o uso de preservativos.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, o uso da camisinha entre jovens entre 15 e 24 anos vem diminuindo. Essa, entretanto, é uma realidade que precisa mudar. Então, nada de entrar nessa! Tenha em mente: esse é o método mais eficaz contra doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), entre elas a AIDS. Além disso, a camisinha é capaz de evitar uma gravidez indesejada. Trate de se proteger. Quem se ama, se cuida!

O teste com os preservativos distribuídos pelo governo foi feito em janeiro de 2018.

Ainda não conhece a PROTESTE? Clique aqui e entenda como ajudamos o consumidor a defender seus direitos.