Exercícios físicos: dose diária ideal tem uma nova diretriz

Exercícios físicos: dose diária ideal tem uma nova diretriz

Uma nova pesquisa feita pela Universidade de Harvard muda a maneira pela qual são contabilizados os exercícios ao longo de um dia

Os benefícios dos exercícios já são conhecidos. Há tempos sabemos que a prática constante de atividades físicas ajudam a prevenir doenças crônicas, como diabetes e problemas cardíacos. Além disso, podem melhorar a saúde geral, o humor e a qualidade de vida. Mas pesquisadores de Harvard descobriram algo sobre a quantidade diária ideal de exercícios que vai na direção contrária ao que se achava até agora. E a boa notícia: não é difícil alcançá-la

Mas o que dizem as novas diretrizes sobre a quantidade diária ideal de exercícios?

De acordo com as pesquisas recentes, a ideia principal é: mova-se mais, sente-se menos. Com isso, a nova recomendação sobre a quantidade diária ideal de exercícios é tentar reduzir o tempo que passamos sentados diariamente. Por isso, caso trabalhe sentado o dia inteiro, lembre-se de levantar algumas vezes e caminhar um pouco. Ou, ainda, praticar algum tipo de exercício enquanto está na mesa.

A diferença dos novos estudos é que todas as atividades realizadas ao longo do dia são contabilizadas para atingir a meta diária. Anteriormente, eram considerados os exercícios praticados de forma contínua. Agora, o que é considerado como ideal, é que a intensidade e a quantidade de exercício vá aumentando gradualmente de acordo com a capacidade de cada um.

Por exemplo, se a pessoa costuma passar o dia inteiro deitada, é recomendado que ela levante a cada 10 ou 15 minutos, e caminhe por cerca de dois minutos. Já as pessoas que costumam caminhar, devem acrescentar alguns metros a cada semana. Para quem pratica corrida, pode aumentar o ritmo a cada cinco minutos e correr de forma mais intensa por um minuto.

Benefícios para todos

Dessa forma, pessoas de todas as faixas etárias podem se beneficiar, utilizando diferentes tipos de atividades. Portanto, a quantidade e o teor da atividade física vão variar de acordo com a idade e o objetivo.

Assim, no caso de adolescentes e pessoas em fase de crescimento, os exercícios podem fortalecer os ossos e músculos. Além disso, são capazes de melhorar a saúde cardiovascular. Já os idosos que realizam atividades regulares apresentam melhor equilíbrio e menores riscos de queda e lesão. Com isso, têm melhora na independência e resistência.

Vale lembrar que a prática de exercícios é segura para quase todos, até mesmo para pessoas com doenças crônicas e deficiências. Além disso, diferentes tipos de atividades têm benefícios complementares. Por isso, escolha as que te agradam e te fazem bem, e mãos à obra!

Ainda não conhece a PROTESTE? Clique aqui e entenda como ajudamos o consumidor a defender seus direitos.