PROTESTE anuncia o resultado do mais novo teste com cafés

PROTESTE anuncia o resultado do mais novo teste com cafés

Presente nos lares, na rua ou no escritório, o café é um dos produtos mais consumidos do mundo; veja o resultado do mais recente teste que realizamos

O café é um produto que está presente na mesa do brasileiro. Seja em casa ou no escritório, a bebida é imensamente apreciada. Além disso, é um dos produtos mais consumidos e comercializados no mundo, sendo o Brasil o maior produtor e exportador. Diante disso, a PROTESTE avaliou 20 lotes de café torrado e moído tradicional, com o intuito de determinar a qualidade dos produtos vendidos nos supermercados. Se quiser saber todos os detalhes do nosso mais novo teste de cafés, acesse nosso comparador exclusivo.

Os cafés analisados no teste foram: Aro, Bom dia, Bom Jesus, Caboclo, Café Brasileiro, Café Pelé, Canaan, Canecão, Capital, Carrefour, Diplomata, Giro, Jardim, Maratá, Melitta, Moka, Pilão, Pimpinela, Qualitá e 3 corações. Foram avaliados os seguintes atributos: rotulagem, higiene, análise físico-químicas e análise sensorial.

Café

Esse teste de cafés foi realizado por Laboratório devidamente credenciado junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A metodologia seguiu às legislações aplicáveis conforme a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O conteúdo da presente reportagem é meramente informativo, exercendo a PROTESTE apenas o direito à informação dos consumidores. Os resultados obtidos se referem a determinados lotes dos cafés que estão disponíveis. Confira aqui os lotes de cada marca e as legislações utilizadas para a realização do teste. Vamos logo aos resultados!

Rotulagem

No atributo rotulagem foi verificado se as informações contidas na embalagem estavam de acordo com a legislação vigente. De um modo geral, os rótulos foram bem avaliados. Entre os lotes de café analisados, somente a Canaan não trazia o modo de conservação do produto. O café Jardim foi a única marca que não possuía o Selo de Pureza ABIC (Associação Brasileira das Indústrias de Café) em seu rótulo. O Selo de Pureza certifica que o produto é puro, sem adulteração ou misturas, oferecendo segurança alimentar, qualidade e respeito ao consumidor.

O café da marca Canecão denominava-se como “puro e natural” na frente da embalagem. De acordo com o regulamento da Anvisa, o uso de vocábulos como “natural”, “puro” e outros não é permitido, mesmo que a informação seja verdadeira.

Além disso, os lotes das marcas Capital, Canaan, Pimpinela, Canecão, 3 Corações e Jardim não indicaram nos rótulos o tempo de validade após aberto. Essa informação, não é exigida por lei, mas a ProTeste julga importante, uma vez que auxilia o consumidor.

Higiene

As análises de higiene do café são de fundamental importância para verificar se o alimento está apto para o consumo ou se apresenta risco à saúde do consumidor. Nesse quesito, todas as amostras trouxeram o produto correto – grãos de café torrados e moídos – em sua composição. Em relação aos padrões microbiológicos, todas as amostras atenderam à legislação vigente.

Café

Entretanto, os lotes dos cafés Bom Dia, Canaan e Jardim apresentaram impurezas macroscópicas (cascas e paus) acima do preconizado pela legislação (1%), sendo detectado ainda, em um deles (Bom Dia), fragmentos de insetos superior ao que é previsto (60 fragmentos). Além disso, foi encontrado 1 inseto inteiro no lote analisado da marca Carrefour, o que não é permitido pela legislação.

Características físico-químicas

De acordo com a Anvisa, os cafés torrados e moídos devem apresentar no máximo 5% de umidade, pois quanto menor a umidade do café, melhor a sua conservação. Em sua maioria, as amostras de café apresentaram menos de 4% de umidade. Contudo, as marcas Bom Dia, Canaan, Aro, Pilão, Café Brasileiro, Café Pelé, Caboclo, Diplomata e Jardim, apresentaram valores próximos ao limite recomendado, entre 4% e 4,5%. Ainda assim, estão em conformidade com as determinações da Anvisa.

Em relação ao teor de cafeína e a presença de substâncias perigosas para a saúde, como a ocratoxina A (substância potencialmente cancerígena), todas as marcas estiveram em conformidade com a legislação.

Análise sensorial

Um grupo selecionado e treinado de provadores realizou a análise sensorial do café seguindo a metodologia validada pela Abic e verificou a Qualidade Global da bebida. O que determina a Categoria de Qualidade do Café é a faixa de nota final obtida pelo produto, numa escala de 0 a 10.

De acordo com a sua qualidade, os cafés são classificados, do melhor para o pior, como Gourmet (7,3 a 10), Superiores (6,0 a 7,2), Tradicional (4,5 a 5,9) e não recomendável para o consumo (0 a 4,5). A faixa da nota de qualidade global é obtida através da análise do conjunto da fragrância do pó, aroma, defeitos, acidez, amargor, sabor, sabor residual, adstringência e corpo da bebida.

Nesse quesito, todas as amostras avaliadas foram consideradas de qualidade Tradicional. De acordo com a ABIC, os cafés tradicionais são para o consumo do dia-a-dia, com custo menor. As marcas que tiveram a melhor avaliação global em relação à análise sensorial foram: Pimpinela, Qualitá, 3 Corações e Mellita. Já o café Jardim recebeu a menor nota de qualidade global nessa análise ou nesse quesito no nosso teste de cafés.

Resultado final do teste de cafés

O café torrado e moído da marca Melitta foi considerado o Melhor do Teste, e tivemos mais 13 marcas com excelente qualidade. Aqueles que quiserem pagar um pouco a menos, comprando cafés tão bons quanto o Melhor do Teste por um preço menor, podem optar pela marca com o título de Escolha Certa.

Se quiser saber mais sobre a sua marca favorita e as outras testadas, veja mais no nosso comparador exclusivo de café. Nele, você terá acesso a avaliação de cada lote de café testado, bem como um indicador de qualidade para você poder saborear o seu café preferido com mais tranquilidade.

Ainda não conhece a PROTESTE? Clique aqui e entenda como ajudamos o consumidor a defender seus direitos.