Especialistas ensinam tratamentos para o melasma

Especialistas ensinam tratamentos para o melasma

Exposição ao sol, mudanças hormonais e fatores genéticos podem influenciar no aparecimento do melasma

Muitas vezes os efeitos do sol rendem mais do que um bom bronzeado. Conhecidas como melasma, as manchinhas que podem aparecer na pele após dias de praia ou piscina, incomodam muita gente.

O melasma acontece porque o melanócito (célula produtora da melanina) é sensível e reage a muitos estímulos. Pode surgir após exposição ao sol, calor, estresse, queimaduras, irritações e alterações hormonais.

De acordo com matéria publicada pela Quem, a causa do melasma é desconhecida. Estão envolvidos fatores genéticos raciais, hormonais (como o uso de pílula anticoncepcional) e ambientais como a radiação solar.

Já o cloasma gravídico, está associado às mudanças hormonais do período da gravidez, e em geral desaparece após o parto.

Diante disso veja algumas dicas de especialistas:

Tratamento no inverno

O principal fator para o aparecimento das manchinhas é o sol. Portanto, a indicação é que os pacientes aproveitem o inverno para tratar o melasma, pois é quando os raios solares estão menos incidentes.

Cremes diários

Segundo a dermatologista Denise Steiner, o tratamento do melasma tem como principal objetivo o clareamento das lesões, prevenção e redução da área afetada. “O uso de cremes diários, combinando agentes tópicos como a hidroquinona, tretinoína e antinflamatórios, a orientação de pacientes quanto a exposição solar e uso regular de filtro solar, continuam sendo os pilares para se tratar as machinhas”, explica.

Peelings químicos

Entretanto, o dermatologista Renato Flores, da Clinée Medicina Estética, alerta que o melasma não tem cura. “Não há tratamento milagroso. Há na verdade uma associação de tratamentos e o resultado é sempre muito pessoal. Algumas pessoas respondem superbem e outras não”.

Segundo o médico, os procedimentos estéticos mais indicados estão os peelings químicos. Isso porque, esse procedimento age na descamação da pele e aliviam as manchas. Outra opção é o laser CO2 fracionado, que promove uma remodelação das camadas da pele e estimula a produção de colágeno.

Microagulhamento

Ainda segundo o especialista, há também o microagulhamento, que tem apresentado respostas bastante positivas para reduzir e clarear o melasma. O procedimento consiste em microagulhas múltiplas que associadas à aplicação de fármacos específicos diretamente na área afetada, estimulam a produção do colágeno pela indução percutânea, aumentando em 400 vezes a quantidade dessa proteína na pele.

Ácido Tranexâmico

O tratamento mais indicado atualmente é o Ácido Tranexâmico, que pode ser utilizado de forma oral, tópica ou injetável e pode ser associada ao microagulhamento. “O ácido impede a ação inflamatória e a consequente formação de melanina”, finaliza o médico.

ALERTA: Antes de fazer qualquer tratamento ou usar produtos, consulte seu dermatologista!

Ainda não conhece a PROTESTE? Clique aqui e entenda como ajudamos o consumidor a defender seus direitos.