Por que o câncer da pele é tão comum no Brasil e como você pode se prevenir?

Por que o câncer da pele é tão comum no Brasil e como você pode se prevenir?

O Brasil tem alguns fatores que aumentam a incidência da doença. Entenda os motivos e saiba como se proteger

A cada ano quase 200 mil brasileiros são diagnosticados com câncer da pele não melanoma. É o de maior ocorrência no país. Mas por que isso acontece?

Histórico familiar, características da pele (pele clara é mais propensa) e excesso de exposição solar são fatores de risco para a doença. E o Brasil é um país tropical com incidência solar alta durante todo ano. Com um problema que agrava: grande parte da população ainda não tem o hábito de passar filtro solar antes de se expor ao sol. Muitos só se preocupam com a proteção quando estão na praia ou piscina.

Mulher passando protetor solar na praia

Como se proteger?

Você não precisa parar de tomar sol. Mas, de acordo com o site do Drauzio Varella, os raios ultravioleta do tipo B prevalecem das 10 horas da manhã até às 16 horas. O comprimento de onda desses raios não é tão longo quanto o do tipo A. Entretanto, são mais cancerígenos, provocam manchas e envelhecimento precoce da pele

Por isso é fundamental criar o hábito de se proteger e se prevenir. E vão além do uso do protetor solar. Alguns exemplos: óculos escuros, bonés de aba grande ou então a utilização de guarda-chuva no dia a dia.

Proteção UV

Para quem gosta de maquiagens, já existem no mercado opções com fator de proteção. Mas não pode esquecer de retocar ao longo do dia.

O FPS está ligado à proteção contra os raios UVB que são responsáveis pelas queimaduras do sol e câncer da pele. Os raios UVA são responsáveis pelo envelhecimento da pele, manchas e aumento do risco de câncer da pele. Sua proteção é um terço do FPS rotulado. Ou seja, quanto maior o FPS do produto, maior também a proteção contra os raios UVA. O indicado é o uso de protetor solar com FPS mínimo de 30.

“Muita gente tem dúvida sobre a quantidade correta. Recomendamos que o indivíduo passe o equivalente a uma colher de sopa cheia em todo corpo, reaplicando a cada duas horas ou depois que entrar em contato com água”, explicou ao site do Drauzio Varella o Dr. Joaquim Mesquita, coordenador nacional da Campanha de Prevenção ao Câncer da Pele da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Características de uma lesão indicativa de câncer da pele

  • Aparência elevada e brilhante, avermelhada, castanha, rósea ou multicolorida. Sangra facilmente;
  • Pinta preta ou castanha que muda de cor e textura. Torna-se irregular nas bordas e cresce de tamanho;
  • Mancha ou ferida que não cicatriza e continua a crescer. Apresenta coceira, crostas, erosões ou sangramento.

As áreas mais propensas são as que recebem mais exposição solar. Como face, braços, couro cabeludo (para quem tem pouco cabelo), orelhas (que são esquecidas) e até os lábios. Se surgir uma lesão que não cicatriza em 10, 15 dias, é importante buscar ajuda médica.

Campanha de prevenção

Com a chegada do dezembro laranja, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) dá continuidade à campanha “Se exponha, mas não se queime”. Com ações e atividades de informação na internet, ruas, praias e parques.

As recomendações básicas da SBD incluem a adoção de medidas fotoprotetoras. Por exemplo, evitar os horários de maior incidência solar (das 10h às 16h), utilizar chapéus de abas largas, óculos para sol com proteção UV e roupas que cubram boa parte do corpo. Além disso, sempre procurar locais de sombra, assim como manter uma boa hidratação corporal.

Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE! Se você é associado e precisa de ajuda, entre em contato conosco pelo número 4003-3906, caso ainda não seja, ligue para 4020-1878.