Esquentar o azeite gera substâncias tóxicas e faz mal?

Esquentar o azeite gera substâncias tóxicas e faz mal?

Há duas condições em que aquecer esse óleo faz com que ele perca suas características antioxidantes. Descubra quais

Você provavelmente já ouviu que esquentar o azeite traz algum prejuízo à saúde. Ou que quando aquecido ele forma substâncias tóxicas. Ou até mesmo que o aquecimento acaba com todas as propriedades do azeite. Mas será que isso é verdade? Não.

Clique aqui e conheça o comparador de azeites da PROTESTE

Estudos mais recentes comprovaram que a própria composição do azeite faz com que as perdas sofridas durante o aquecimento não sejam significativas.

Além disso, a presença de alguns compostos (vitamina E, compostos fenólicos e fitoesteróis) aliada a altas concentrações de ácido oleico torna o azeite de oliva mais resistente ao aquecimento do que muitos óleos vegetais (canola, girassol, milho), apesar de muita gente ainda acreditar no contrário. Portanto, no geral, este óleo ainda é um dos mais saudáveis.

O azeite só perde suas propriedades antioxidantes se você aquecê-lo por longos períodos e em temperaturas superiores a 180ºC. Esquentá-lo em baixas temperaturas não traz qualquer prejuízo à saúde, não forma substâncias tóxicas, nem gordura saturada e, muito menos, gordura trans.

+Leia também:
– Descubra os outros azeites que não merecem ser levados pra casa.

– Análise Sensorial: comprovando a qualidade de um azeite de oliva extravirgem

Portanto, os azeites permanecem mais saudáveis que outros óleos vegetais. Mas não é por isso que você deve abusar no consumo, certo? Lembre-se que, por ser uma gordura, o azeite é um alimento naturalmente calórico. Uma colher de sopa (8 ml) contém, em média, 72Kcal.