Levar o próprio lanche para a praia é a opção mais segura

Levar o próprio lanche para a praia é a opção mais segura

Preparar em casa o alimento para quando a fome bater na praia é opção mais econômica, segura e saudável; saiba como fazer

Para quem gosta de passar bastante tempo na praia e não quer sentir fome, a opção mais segura e saudável é levar o próprio lanche preparado em casa. Desse modo, é possível se alimentar sem consumir comidas contaminadas e mal conservadas. Além disso, ainda dá para economizar. Lembre-se de que, especialmente no verão, preços de itens comercializados na praia costumam subir.

A especialista da PROTESTE, Fernanda Taveira, dá opções práticas, saborosas e baratas que podem ser ingeridas sem preocupação em um dia de calor. “Experimente preparar o seu próprio milho, chips de vegetais (batata doce, abobrinha, batata inglesa) ou barrinha de cereal. Outras opções seriam as frutas como maçã, pera, banana, tangerina logo nas primeiras horas de praia seguido de um mix de sementes oleaginosas (amêndoas, castanhas, nozes, macadamia) e/ou frutas desidratadas (uva passas, damasco, maçã desidratada)”.

Também é possível preparar sanduíches naturais ou tapiocas, desde que não contenham ingredientes como maionese e embutidos. O suco de fruta natural é outra opção, que pode ser preparada logo antes de sair de casa.

Ela destaca que é preferível sempre levar o lanche de casa. Caso isso não seja possível, ela recomenda algumas opções que são vendidas na própria praia. “Escolha o famoso biscoito polvilho, picolés de fruta e é claro, a água mineral. Essa não pode faltar!”, afirma.

Tenha em mente que alguns alimentos precisam ser acondicionados em bolsas térmicas ou em caixas de isopor, assim como as bebidas.

Lanche vendido na praia requer atenção

Fernanda ressalta que quando o assunto é intoxicação alimentar relacionado à praia, alguns alimentos merecem distância. Dentre eles estão a manteiga do milho verde, queijo coalho, camarão, mousse de frutas, empadas, frituras. “Esses alimentos por serem perecíveis e necessitarem de um bom armazenamento podem gerar sintomas como náusea, vômito, diarreia, febre, calafrios e cólica abdominal”. Além disso, é preciso ter atenção a bebidas como cerveja e refrigerante, que podem levar à desidratação.

Os cuidados são necessários porque muitos desses alimentos são preparados sem a higiene adequada. Foi o que detectou o teste com comida de praia, realizado pela PROTESTE. Na pesquisa foram coletados alimentos comercializados por vendedores ambulantes no litoral de cinco estados brasileiros. Na maioria das amostras, foram detectadas quantidades consideráveis de micro-organismos, como fungos e bactérias.

E por falar em cuidados no preparo de alimentos, a PROTESTE quer ajudar pessoas a empreender na área de alimentação. Em março, lançaremos o curso Você Chef: Da Cozinha ao Lucro, abordando todos os assuntos da área de alimentação, desde a legislação sobre abertura de empresas, por exemplo, como as boas práticas na cozinha, administração e até marketing.

Você tem uma receita especial que faz sucesso com sua família e amigos? GANHE DINHEIRO AGORA arrow_right_alt