Entenda as regras de segurança alimentar para delivery

Entenda as regras de segurança alimentar para delivery

Com restaurantes e lanchonetes fechados, uma alternativa para os empresários do setor é apostar em entregas; porém, é preciso conhecer as regras de segurança alimentar para delivery

Para sobreviver durante o período de isolamento social, os empresários do setor de alimentação precisam se reinventar e oferecer novos serviços, como a entrega de comida. No entanto, para isso é fundamental respeitar as boas práticas e adotar medidas adequadas de segurança alimentar para delivery.

“Na verdade, as boas práticas são necessárias sempre, independentemente da pandemia. Porém, hoje os hábitos de higiene e segurança alimentar precisam ser reforçados, para conter a disseminação da Covid”, ressaltou Ruliana Bittencourt, nutricionista e fundadora da Rubi Nutri Solutions.

Além da proteção contra o coronavírus, ao reforçar as boas práticas  o dono do negócio também conquista a confiança do consumidor, que passa a enxergar a empresa como responsável. Com isso, a perspectiva de voltar a comprar e se tornar um cliente fiel aumenta. O curso Você Chef: Da Cozinha ao Lucro, que prepara pessoas para empreenderem na área de culinária, tem um módulo só sobre boas práticas de higiene na cozinha.

Confira as dicas de segurança alimentar para delivery

“Algumas pesquisas demonstram que 74% dos consumidores se sentem mais seguros quando conhecem as boas práticas adotadas pelo estabelecimento”, disse Ruliana. Ou seja, não há dúvidas de que esse é um importante diferencial competitivo.

Para manter essa segurança, comunicando as medidas de maneira adequada ao consumidor, a especialista sugere algumas medidas. Acompanhe!

Use redes sociais para divulgar boas práticas

Além de manter todos os cuidados na higienização e manipulação de alimentos, é fundamental que os clientes saibam disso. “Quando vamos ao restaurante, podemos ver a cozinha do estabelecimento e a maneira como os alimentos são manipulados. Com o delivery isso não ocorre. Assim, é importante que os comerciantes mostrem aos seus consumidores suas boas práticas”, orientou Ruliana.

Uma maneira de fazer isso é por meio das redes sociais. “Divulgue um treinamento, uma capacitação dos colaboradores. Faça vídeos mostrando o preparo de alimentos, a forma como estão sendo envasados e os cuidados no transporte”, exemplificou.

seguranca nas entregas
Mantenha a segurança nas entregas

Todos os protocolos de higiene e limpeza devem ser seguidos pelo entregador. “Se esse profissional for um colaborador contratado, é importante orientá-lo sobre os procedimentos de segurança. Além disso, se for integrante do grupo de risco, é melhor permitir que faça a quarentena em casa”, ressaltou a especialista.

No caso de uso de plataformas de entrega, sempre é bom checar suas práticas. Afinal, para o cliente, quem está chegando na casa dele, com o alimento, é o restaurante, não a plataforma terceirizada que faz esse serviço.

De acordo com Ruliana, os entregadores devem:

  • manter o distanciamento dos clientes;
  • usar corretamente a máscara de proteção;
  • higienizar as mãos com álcool em gel a cada entrega. É importante também higienizar as superfícies do veículo (moto ou carro), chaves, aparelho celular, entre outros;
  • quando sair para fazer várias entregas, que ficam armazenadas em uma bag térmica, solicitar ao cliente um local seguro para apoio, não colocando os demais pedidos no chão;
  • ao retornar da entrega para o restaurante, repetir os procedimentos de higiene das mãos.

Adote métodos de pagamento seguros

Para garantir a segurança tanto dos clientes quanto dos entregadores, a sugestão é optar por meios eletrônicos de pagamento, como cartões ou soluções online, como aplicativos.

No caso de uso de cartão, Ruliana ressalta a importância de higienizar a maquininha a cada uso. “O ideal é que o entregador mantenha distância até mesmo nesse momento. Assim, ele não deve, por exemplo, manusear o cartão do cliente”, disse.

Quando o cliente prefere pagar em dinheiro, o correto é enviar um saquinho com o troco e outro, no qual o próprio consumidor irá inserir o pagamento, evitando que o entregador tenha contato.

embalagem
Intensifique cuidados com as embalagens

O estabelecimento comercial é responsável pelo alimento até a casa do cliente. Depois, o consumidor assume essa responsabilidade. “Por isso, a embalagem tem que comunicar de forma clara que o alimento deve ter consumo imediato ou então, qual a sua validade”, explicou a nutricionista.

Além disso, segundo ela, outros cuidados são essenciais:

  • use etiquetas para garantir que o produto não seja violado durante o transporte;
  • ao enviar descartáveis, embale de forma segura, para que o entregador não tenha contato com os produtos;
  • oriente seu cliente sobre a importância de descartar as embalagens depois do recebimento, por foram elas que tiveram contato com o ambiente externo.

De acordo com Ruliana, as mesmas dicas de segurança alimentar para delivery (distanciamento, uso de meios de pagamento que evitem cédulas, embalagens seguras) devem ser seguidas por restaurantes nos quais o próprio consumidor retira o alimento.

Quer saber mais sobre segurança alimentar e empreendedorismo nesse segmento? Confira o curso Você Chef: da Cozinha ao Lucro , da PROTESTE!

Quer saber como empreender na área de alimentos?

Quero ler o E-book