Zero lactose: nem sempre os produtos são o que dizem ser

Zero lactose: nem sempre os produtos são o que dizem ser

A PROTESTE fez o teste e descobriu: alguns produtos que dizem ser zero lactose têm quantidades da substância acima da permitida pela Anvisa

Pessoas que sofrem com intolerância à lactose, devem ficar atentas. Nem sempre os produtos vendidos como “zero lactose” cumprem o prometido em seus rótulos. Um teste feito pela PROTESTE com 40 produtos identificou que quatro deles apresentaram valores de lactose acima do permitido por lei para produtos Zero Lactose.

Além disso, o teste detectou que, alguns produtos, embora dentro da faixa de normalidade permitida pela legislação, apresentaram concentrações de lactose próximas ao limite permitido que é de 100mg/100g.

O consumo de produtos com lactose por pessoas intolerantes pode acarretar diversos sintomas da não digestão da substância. “Se a pessoa com intolerância à lactose consumir produtos com nível de lactose acima do permitido, ela vai ter esses sintomas, que incluem distensão abdominal, dor e diarreia”, explica o professor doutor Aderbal Sabrá, membro titular da Academia Nacional de Medicina e professor de Alergia Alimentar e Autismo da Universidade Unigranrio.

E mesmo no caso dos produtos com teor de lactose muito próximos ao permitido pode haver consequências. O professor doutor Aderbal Sabrá afirma que o consumo desses alimentos é um risco para os indivíduos que precisam realmente ter uma dieta de lactose zero.

Nesses casos, qualquer quantidade de lactose no tubo digestivo não será digerida e ele vai ter os sintomas que são muito desagradáveis. 

Esse teste foi realizado por laboratório devidamente credenciado junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e a metodologia seguiu as legislações aplicáveis. Além disso, o conteúdo desse estudo é meramente informativo. Dessa forma, a PROTESTE está apenas fazendo exercer o direito dos consumidores à informação. Lembramos também que os resultados obtidos se referem a determinados lotes de produtos Zero Lactose que estão disponíveis no mercado. Confira aqui os lotes de cada marca e as legislações utilizadas para a realização do teste. Vamos logo aos resultados! 

Encontramos lactose em diversos produtos

O teste avaliou iogurtes, leites e bebidas lácteas que estampam em seus rótulos a informação “Zero lactose”, “0% lactose”, “Lactose free” ou “não contém lactose”. 

Dos 40 lotes de produtos analisados, quatro da marca Verde Campo apresentaram valores de lactose acima do permitido por lei. São eles: Iogurte Desnatado Natural Whey – Sabor Morango 250g, Iogurte Desnatado Lacfree 140g, Iogurte Desnatado Natural Whey – Sabor Pasta de Amendoim 250g, Bebida Láctea UHT Natural Whey – sabor baunilha 250ml. 

Vale ressaltar que essas análises foram feitas em triplicata, ou seja, para todas as amostras que deram mais de 100mg de lactose por 100g de produto (como exige a legislação), foram feitas mais duas reanálises. Sendo assim, foram realizadas três análises de uma mesma amostra para garantir esse resultado.

Clique aqui para ter acesso à tabela completa com os resultados e veja como sua marca favorita se saiu no nosso teste.

Produtos com lactose próxima ao limite também são um risco

Além desses, a PROTESTE chama atenção também para os produtos que, embora tenham sido aprovados por estarem dentro da faixa de normalidade permitida pela legislação, apresentaram concentrações de lactose próximas ao limite permitido (100mg/100g). Esses resultados foram vistos principalmente nos lotes dos produtos das marcas: Danone (Iogurte Corpus – Sabor Morango 170g), Frimesa (Iogurte Parcialmente Desnatado – Sabor Morango 165g), Piracanjuba (Bebida Láctea UHT Whey – Sabor Cacau 250 ml e Leite UHT semidesnatado1 litro) e Tirol (Leite UHT semi-desnatado -1 litro). 

zero lactose
Como alertado pelo professor doutor Aderbal Sabrá, concentrações de lactose próximas ao limite permitido pela legislação, também podem ser prejudiciais à saúde do consumidor com intolerância a lactose. 

A PROTESTE acredita que os consumidores devem ser esclarecidos para que possam agir com liberdade e segurança quando da escolha de produtos que atendam às suas necessidades nutricionais, sem comprometer a sua saúde. Entendemos que os fabricantes de leite, iogurte ou de qualquer outro produto alimentício devem apresentar informações nutricionais verdadeiras, claras e precisas em seus rótulos.

Afinal, a única garantia que o consumidor com intolerância a lactose tem de que o produto que ele está consumindo está deslactosado é a informação declarada pelo fabricante na embalagem.

Pessoas com intolerância à lactose precisam estar sempre atentas ao que estão consumindo. Além de ser necessário manter uma dieta restrita de alimentos com o ingrediente, é importante prestar atenção nos produtos que prometem ser deslactosados. 

O que diz a lei sobre os produtos alimentares com lactose

Desde fevereiro de 2019, os fabricantes são obrigados a informar a presença de lactose nos alimentos. Isso vale para alimentos com mais de 100 miligramas (mg) de lactose para cada 100 gramas ou mililitros do produto.

Ou seja, qualquer alimento que contenha lactose em quantidade acima de 0,1% deverá trazer a expressão “baixo teor de lactose” (até 1% de lactose) ou “contém lactose” em seu rótulo. Com essas regras, o mercado brasileiro de alimentos tem três tipos de rotulagem para a lactose: “zero lactose“, “baixo teor de lactose”, ou “contém lactose”.

O que é a lactose e intolerância à lactose?

A lactose nada mais é do que o açúcar predominante do leite. Esse açúcar é encontrado somente no leite e derivados, representando cerca de 2% a 8% do leite. Contudo, esse percentual varia em função da espécie. Ela é utilizada pelos organismos como fonte de energia para o desenvolvimento do sistema nervoso central, facilitando a absorção de cálcio, fósforo e vitamina D, além de favorecer a retenção de cálcio e prevenindo a osteoporose.

Pessoas têm intolerância à lactose devido a alguma deficiência na produção da enzima lactase, responsável por digerir a lactose. A intolerância à lactose é uma condição muito comum e que afeta por volta de 70% da população mundial, seja por fatores congênitos, provocados por doenças ou pelo declínio natural da lactase no organismo.  No entanto, muitos ainda não sabem do que se trata e têm dificuldades em descobrir a causa dos sintomas.

Quer saber mais sobre esse assunto? Veja aqui a matéria completa sobre lactose e intolerância a lactose