Saiba o que é a quiropraxia e quais são seus benefícios

Saiba o que é a quiropraxia e quais são seus benefícios

A quiropraxia pode ser confundida com massagem e fisioterapia, porém, a técnica é bastante diferente e é utilizada para tratar e prevenir problemas corporais

Muitas pessoas sofrem com dores na coluna, no pescoço e nas articulações, problemas posturais e fadiga muscular, principalmente, em tempos de home office e longas jornadas de trabalho em frente ao computador. A quiropraxia surge como uma ferramenta para auxiliar na solução desses problemas. 

A técnica se dedica ao diagnóstico, tratamento e prevenção de problemas do sistema neuro-esquelético. Ou seja, além de resolver os males mencionados, a quiropraxia atua para desenvolver um tratamento completo para problemas ligados às articulações, músculos, tendões, nervos e outras estruturas fundamentais do nosso corpo.

A quiropraxia pode ser aplicada de maneira alternativa e complementar na resolução dos seguintes casos:

  • Dores nos ombros;
  • Dores no pescoço;
  • Dores de cabeça;
  • Dores nas costas;
  • Hérnia de disco e dor ciática;
  • Tensão muscular;
  • Problemas em articulações do ombro, cotovelo, joelho, tornozelo e outras;
  • Correção de postura;
  • Lesões ou acidentes variados;
  • Fibromialgia;
  • Dor lombar.

A palavra quiropraxia vem dos termos gregos “Quiro” (mãos) e “Praxis” (praticar), o que traduz a ideia de “praticar com as mãos”. A técnica surgiu em 1895, nos Estados Unidos, a partir de Daniel David Palmer, um médico canadense entusiasta da medicina alternativa. Quando atendeu em seu consultório, uma pessoa que perdeu a audição após sentir um estalo nas costas. Para solucionar o problema, ele realizou exames complementares e manipulou a área. 

A partir disso, o doutor buscou outros pacientes que apresentavam diversos problemas que, inicialmente, não tinham relação com a coluna vertebral. Mas, também sofriam com desconfortos na região, como no primeiro caso. 

Dica: Saiba como preservar a coluna durante o home office

Palmer conseguiu estabelecer relações entre o alinhamento das vértebras e algumas doenças, desde então, a quiropraxia foi se aperfeiçoando. E, a partir do diagnóstico e tratamento do sistema neuro-esquelético, promove o bem-estar dos pacientes.

Os profissionais da quiropraxia, chamados de quiropratas, realizam uma série de análises e, principalmente, movimentos com as mãos para restaurar o alinhamento correto da coluna e outros locais do corpo. Isso, permite que dores sejam aliviadas, pois a tensão muscular da região e a pressão arterial diminuem. Além de aumentar o fluxo sanguíneo e proporcionar uma sensação de bem-estar e relaxamento aos pacientes.

Desde 2005, a quiropraxia é reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e é uma vertente da medicina alternativa. No Brasil, a Associação Brasileira de Quiropraxia é a entidade responsável por representar a especialidade, que ganha espaço como uma prática com diversos benefícios e atuação complementar para outros tratamentos.

Tratamento na quiropraxia

O tratamento quiroprático é realizado por profissionais com formação em quiropraxia. Eles vão corrigir ou prevenir os males das articulações. Por isso, os quiropratas adquirem conhecimentos em áreas como patologia, anatomia, radiologia, biomecânica e neurologia. 

O quiropraxista, após o diagnóstico, define um plano apropriado para tratar os problemas relatados pelos pacientes de maneira individualizada, utilizando uma série de técnicas. 

O tratamento é realizado por sessões, a primeira é a avaliação, e pode durar uma hora. As sessões seguintes são a parte prática, na qual o profissional atuará por cerca de 20 minutos com os movimentos manuais e outras técnicas para o alívio dos problemas corporais

A prática é realizada, em geral, com as mãos, por meio de manobras e movimentos seguros de baixa ou alta velocidade. Alguns equipamentos também podem ser utilizados, para isso, é necessário analisar os casos individualmente. 

No começo do tratamento, pode ser necessário fazer de uma a três sessões por semana, vai depender do caso e do diagnóstico do profissional. Porém, essa frequência pode diminuir conforme o progresso na saúde do paciente.

O tempo de tratamento total também pode variar entre um e três meses. O objetivo é sempre que a recuperação aconteça no menor tempo possível, porém a durabilidade pode mudar de acordo com estilo de vida, gravidade do problema, idade, tipo de trabalho e outros fatores. De forma ampla, o tratamento pode ser dividido em três fases:

  • Fase intensiva: são as consultas e sessões de uma a três vezes por semana, para tratamento de dores e condições específicas;
  • Fase corretiva: para melhorar a postura e flexibilidade do corpo, com frequência semanal;
  • Manutenção: com frequência semanal, mensal ou trimestral, para a manutenção dos ganhos das fases anteriores.

O tratamento quiroprático não utiliza procedimentos invasivos ou medicamentos. Além disso, as técnicas da quiropraxia tratam a origem do problema, em comunicação direta com o sistema nervoso. Dessa forma, a quiropraxia trata ossos e nervos, ao contrário de outras especialidades, como a fisioterapia e a massagem, que tratam a reabilitação muscular. 

Ao mesmo tempo, o tratamento da quiropraxia também envolve a colaboração dos pacientes, tanto para prevenir problemas quanto para manter os benefícios ganhos com a intervenção do profissional. Por isso, além de permanecer em atividade física, o paciente precisa seguir as orientações dadas pelo quiroprata, que vai indicar exercícios específicos e também de reabilitação. 

Também serão fornecidos direcionamentos para correção de postura e outras técnicas que o paciente deve incluir, durante a rotina, para que o tratamento seja efetivo e tenha efeito duradouro.

Dica: Mudança em rótulos dos alimentos beneficia brasileiros

Diagnóstico na quiropraxia

O diagnóstico da quiropraxia é uma parte fundamental do tratamento, pois é a partir desse momento que serão definidas as técnicas aplicadas no paciente. Além de entrevista para conhecer o histórico e estilo de vida do paciente, são realizados exames clínicos detalhados que incluem:

  • Análise postural;
  • Exames ortopédicos;
  • Exames neurológicos;
  • Toque de articulações, músculos e outras áreas de incômodo no paciente;
  • Se for preciso, exames de tomografia, radiografia e ressonância magnética;

Tudo depende do histórico de doenças de quem será atendido, da gravidade das dores e males que afetam o sistema neuro-músculo-esquelético e de fatores pessoais.

Sistema neuro-músculo-esquelético

O sistema neuro-músculo-esquelético é formado pelos nervos que saem da coluna e são espalhados por todo o corpo. Além da parte central, composta pelo encéfalo e a medula, que é protegida pelos ossos da coluna vertebral e do crânio.

Esses nervos transmitem comandos para as articulações, controlam os músculos e órgãos e também são responsáveis pelas sensações como o tato, pressão e dor. 

Ou seja, uma série de funções corporais estão relacionadas ao sistema. Por isso, qualquer comprometimento em um desses aspectos traz malefícios que não apenas causam dor e redução do bem-estar pessoal, mas que também podem ser indicativos de problemas mais graves.

Dessa maneira, o quiroprata atua para melhorar a capacidade desse sistema em transmitir comandos e receber informações dos nervos sem “desvios” ou alterações que provoquem dor. Isso só é alcançado, por meio de diagnóstico e correção das desordens do sistema neuro-músculo-esquelético.

Doenças tratadas com a quiropraxia

A quiropraxia pode contribuir para o tratamento de uma série de doenças e males, especialmente aqueles que não precisam de intervenção medicamentosa ou tratamentos invasivos. Veja algumas das doenças tratadas pelos quiropratas.

Tensões musculares

Tensões musculares são muito comuns hoje em dia, pois a rotina de trabalho em frente ao computador, por horas seguidas, pode trazer uma série de males musculares que causam dor. Por isso, aliviar, ou mesmo liquidar, esses males é fundamental. A quiropraxia, por meio de técnicas localizadas, ajuda a relaxar os músculos e resolver esse problema.

Hérnia de disco

A hérnia de disco é um problema bem doloroso que atinge a região das costas e provoca alterações nas estruturas das vértebras da coluna. Nessas situações, a quiropraxia auxilia a reduzir o desconforto da hérnia, principalmente em situações nas quais não há indicação de cirurgia ou quando tratamentos convencionais não funcionam de forma eficiente. 

Lesões

Lesões também são um dos problemas tratados pela quiropraxia. Atletas ou pessoas comuns que sofrem algum acidente ou outro tipo de lesão podem ser beneficiadas pelo tratamento, que não é invasivo e ainda é de baixo impacto. A quiropraxia pode ser feita de forma para complementar a fisioterapia, o que intensifica os ganhos e a recuperação.

Fibromialgia

A fibromialgia pode se manifestar em todo o corpo, por meio de dores nas musculaturas, especialmente. Além disso, causa fadiga, sono não reparador, alterações de memória, ansiedade e outras complicações. Por não ter cura, a fibromialgia pode ser atenuada pela quiropraxia, que ajuda a reduzir dores e manter a qualidade de vida do paciente.

A quiropraxia traz uma série de benefícios, não apenas para quem tem as doenças que citamos, mas também para outras pessoas. Mesmo que esteja com incômodos na coluna, articulações ou sistema muscular e que não possua complicações severas de saúde. Entre alguns ganhos que a quiropraxia proporciona, podemos mencionar:

  • Resultados rápidos, pois alguns efeitos podem ser percebidos logo após as sessões, especialmente em casos de inflamações leves;
  • Tratamento não invasivo e indolor, as técnicas são realizadas com as mãos ou instrumentos que não exigem intervenção cirúrgica, por exemplo;
  • Ausência de medicações, exceto em situações bem específicas que envolvam profissionais de outras especialidades, não há necessidade de prescrição de remédios;
  • Redução de problemas e dores nas articulações, coluna ou músculos, que são fundamentais para o nosso dia a dia;
  • Melhora da postura, algo essencial para trabalhar ou ter momentos de lazer, pois a quiropraxia realinha pontos importantes da região da coluna;
  • Melhora do bem-estar físico e mental, a quiropraxia permite uma melhor qualidade do sono e a redução de dores que incomodam diariamente;
  • Adoção de hábitos mais saudáveis, o profissional de quiropraxia vai analisar os seus hábitos e fazer indicações sobre como se sentar, melhores posições para dormir e também práticas e exercícios para você adotar que vão prevenir dores.

Quem pode fazer quiropraxia

A quiropraxia pode e deve ser feita em qualquer idade, desde recém-nascidos até idosos. Grávidas também estão liberadas. Porém, o tratamento é individualizado e cada paciente receberá as técnicas específicas para a sua idade e condições físicas. Veja as particularidades para os diferentes grupos que podem fazer quiropraxia.

Crianças

Desvios posturais, lesões e outros problemas corporais podem acometer as crianças, mesmo as pequenas. Brincadeiras ou mesmo condições pré-existentes são alguns dos fatores que desencadeiam esses males, que trazem incômodos e dores que podem ser resolvidos pelos quiropratas.

Jovens

Problemas de postura e outras lesões são comuns em adolescentes. Horas em frente ao computador ou videogame, peso do material escolar e até mesmo questões emocionais podem desencadear males que a quiropraxia pode resolver por meio de técnicas localizadas que corrigem desvios do sistema neuro-músculo-esquelético.

Dica: Azeite de oliva: como escolher para garantir a qualidade no seu prato

Idosos

Os idosos formam um dos grupos mais beneficiados pela quiropraxia, pois é comum que, com o passar do tempo, as articulações e músculos apresentem desvios que causam dor. Além disso, problemas de saúde como fibromialgia e hérnia de disco podem ser mais presentes nessa faixa etária. A quiropraxia é uma alternativa no tratamento desses males.

Atletas

As práticas esportivas aumentam o risco não apenas de lesões, mas também de inflamações musculares e dores em articulações. Por isso, a quiropraxia é uma grande aliada de atletas e esportistas para tratar complicações originadas do esporte. Além disso, a quiropraxia pode ser usada de forma preventiva, para evitar lesões.

Gestantes

A gestação é uma fase de muitas transformações no corpo, afinal, o peso do bebê afeta a coluna e pode provocar disfunções que causam dor. Além disso, articulações como o joelho também sofrem impacto com a gravidez. Por isso, a atuação do quiroprata auxilia na redução desses sintomas e melhoram a qualidade de vida da pessoa grávida.

Guia-do-consumidro

Quem não pode fazer quiropraxia

Em geral, a quiropraxia é um tratamento da medicina alternativa que pode ser feito por qualquer pessoa, em qualquer idade. Porém, existem algumas condições em que a quiropraxia não é indicada, principalmente em casos de doenças graves.

A quiropraxia não é indicada para pessoas com:

  • Tumores malignos;
  • Fraturas;
  • Osteoporose severa;
  • Infecções ósseas;
  • Espondilite anquilosante;
  • Instabilidades na medula espinhal;
  • Risco elevado de acidente vascular cerebral;
  • Pessoas com histórico de cirurgia na coluna;

Por isso, a fase de avaliação e diagnóstico com o quiroprata é fundamental, pois o profissional vai analisar esses aspectos e dar o melhor direcionamento para o paciente. 

Além disso, se você possui alguma enfermidade relacionada aos males que mencionamos ou outros no sistema neuro-músculo-espinhal, vale a pena conversar com o seu médico para entender se a quiropraxia é indicada para você ou não. É o caso de quem faz acompanhamento com fisioterapeutas, ortopedistas, neurologistas, oncologistas e outros médicos que realizam acompanhamento contínuo.

Como escolher um bom quiropraxista?

É fundamental escolher um bom quiropraxista, que vai fazer uma boa avaliação e diagnóstico da sua condição de saúde e, em seguida, fazer o tratamento mais adequado para sua situação.

Busque por indicações de pessoas confiáveis, veja a avaliação de clientes, veja se há boas recomendações sobre a clínica ou o espaço no qual o profissional atua. Além disso, o site da Associação Brasileira de Quiropraxia também oferece um mapa para você encontrar um profissional que está na sua cidade e que é associado à entidade. São mais de 930 associados, de acordo com a associação.

Também é importante aproveitar a primeira consulta para avaliar o local, observar a higiene do ambiente e como o espaço é organizado. Além da qualidade do atendimento. Por fim, tire todas as dúvidas e pergunte sobre a formação do profissional e cursos na área.

Formação de um quiropraxista

Para ser quiropraxista, é preciso ter formação de nível superior. O curso de quiropraxia é de nível universitário e tem duração de 4 a 6 anos. O currículo do curso abrange métodos diagnósticos, ciências biomédicas e prática clínica. 

No Brasil, a quiropraxia é reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC) e é ensinada na Anhembi Morumbi, em São Paulo/SP; na Feevale, em Novo Hamburgo/RS; e na Uceff, em Chapecó/SC. No mundo, países como Estados Unidos, Inglaterra, Austrália, África do Sul e México possuem faculdades de quiropraxia.

Além disso, fisioterapeutas com especialização em quiropraxia também podem atuar com a prática, porém precisam cursar uma pós-graduação.

Saiba mais sobre saúde com a PROTESTE

Como vimos, a quiropraxia é uma grande aliada para quem está com incômodos e dores na região da coluna, articulações e outras relacionadas ao sistema neuro-músculo-esquelético. Esses males são comuns e afetam muitas pessoas, reduzindo o bem-estar e a qualidade de vida.

Por isso, é fundamental se informar e buscar ajuda de profissionais qualificados, que vão ajudar você a não sofrer mais com dores na coluna, lesões musculares e quaisquer outros incômodos relacionados ao corpo.

Se você gostou deste conteúdo e deseja se informar sobre outras áreas da saúde, cadastre-se agora mesmo e receba gratuitamente conteúdos da PROTESTE sobre saúde e bem-estar.