Burnout é considerado pela OMS como fator que influencia a saúde

Burnout é considerado pela OMS como fator que influencia a saúde

Recentemente, circulou a notícia de que a Organização Mundial da Saúde (OMS) teria incluído o burnout na nova Classificação Internacional de Doenças.

Recentemente, circulou a notícia de que a Organização Mundial da Saúde (OMS) teria incluído o burnout na nova Classificação Internacional de Doenças. No entanto, posteriormente, a instituição explicou que o termo já constava na classificação precedente. O termo consta no capítulo “Fatores que influenciam a saúde”. Mas afinal, o que é a síndrome do burnout?

Segundo a OMS, o burnout é considerado um conceito que se refere ao esgotamento profissional. “A inclusão neste capítulo significa precisamente que o burnout não é conceitualizado como uma condição médica. Trata-se, porém, de um fenômeno ligado ao trabalho”, escreveu o porta-voz da OMS em nota enviada à imprensa. O assunto foi noticiado no portal G1.

No comunicado, a fonte precisou que apenas a definição do burnout “foi modificada à luz de pesquisas atuais”. A Classificação de Doenças da OMS estabelece uma linguagem comum que facilita o intercâmbio de informações entre os profissionais da área da saúde ao redor do planeta. A lista é baseada nas conclusões de especialistas de todo o mundo e é utilizada para estabelecer tendências e estatísticas de saúde.

Síndrome do burnout está relacionada a estresse crônico

O problema foi descrito como uma síndrome resultante de um estresse crônico no trabalho que não foi administrado com êxito. Sendo assim, o fenômeno se caracteriza por três elementos. São eles: sensação de esgotamento, cinismo ou sentimentos negativos relacionados a seu trabalho e eficácia profissional reduzida.

Por fim, o registro da OMS explica que o esgotamento “se refere especificamente a fenômenos relativos ao contexto profissional e não deve ser utilizado para descrever experiências em outros âmbitos da vida”.

A nova classificação, chamada CIP-11, publicada no ano passado, foi aprovada durante a 72ª Assembleia Mundial da OMS. O texto entrará em vigor no dia 1º de janeiro de 2022.