Verdades e mentiras sobre o chocolate

Verdades e mentiras sobre o chocolate

Branco, amargo, ao leite, com frutos secos, licor ou frutas. Saiba quais são os boatos e verdades sobre o chocolate na dieta

A Páscoa ainda está longe, mas o chocolate é uma paixão mundial em qualquer época do ano. São vários os tipos, sabores e apresentações. Mas sobre ele existem muitas informações, nem sempre verdadeiras. Por exemplo, diz-se que ele vicia. Será que isso é verdade? A DecoProteste, de Portugal, fez uma matéria desmistificando o tema.

O chocolate amargo é mais estimulante e sacia mais

Verdade. O chocolate é composto por cafeína, substância que estimula o sistema nervoso central. Esse componentes pode levá-lo a sentir-se mais desperto e enérgico temporariamente. No entanto, consumidos em excesso podem provocar agitação e taquicardia.

O chocolate ao leite contém 16 mg de cafeína por 100 gramas. A mesma quantidade de chocolate amargo tem 64 mg. Assim, se considerarmos que um quadradinho de chocolate tem 4 g, então cinco quadrados de chocolate ao leite representam 3,2 mg de cafeína. Os mesmos cinco quadrados de chocolate amargo contêm 12,8 mg de cafeína.

De acordo com um estudo científico da Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA), um consumo de 400mg por dia de cafeína não causa problemas para a maioria dos adultos saudáveis.

Além disso, quando comparados os vários tipos de chocolate, o amargo parece ter um maior efeito saciante.

Clique aqui para ler esta matéria: Por que ler os rótulos dos industrializados é fundamental?

Efeito antidepressivo e viciante

Mentira. O chocolate é, muitas vezes, consumido como uma forma de obtenção de prazer. No entanto, está errado dizer que ele tem efeito antidepressivo. Apesar da sua composição ter substâncias com efeitos próximos aos das anfetaminas, as quantidades são ínfimas. Além disso, nem os efeitos benéficos para o coração, atribuídos aos flavonoides presentes no cacau, se confirmam.

Contudo, é verdade que comer chocolate dá uma sensação de prazer e isso é fruto do do aumento das betaendorfinas que ele provoca. Além disso, seu consumo também provoca produção de serotonina, que gera satisfação. No entanto, não há nada que comprove que chocolate vicia.

Provoca acne

Acne

Mentira. Não há estudos que comprovam a relação do consumo de chocolate com o aparecimento de acne. Os processos biológicos que a provocam ainda não são bem conhecidos. Fatores como a hereditariedade, desordens hormonais, ciclo menstrual, entre outros, têm influência sobre essa condição. Portanto, para prevenir o problema, o ideal é ter uma dieta variada, sem abusar de açúcares e de gorduras.

Um chocolate esbranquiçado está estragado?

Mentira. O chocolate é um produto bastante frágil, que pode perder brilho e ganhar uma coloração esbranquiçada ou acinzentada quando não é bem conservado. Contudo, ele continua próprio para consumo. Apenas o aspecto e a textura tornam-no menos apetitoso.

O esbranquiçamento é fruto da formação de cristais de açúcar ou de gordura. E geralmente ocorre por conservação em ambiente excessivamente úmido, como a geladeira. Assim, o açúcar migra para a superfície, cristaliza e forma a película. Por isso, para evitar esse fenômeno, mantenha o chocolate em ambiente seco.