Qual é a alimentação ideal para hipertensos?

Qual é a alimentação ideal para hipertensos?

O aumento da pressão arterial é um dos principais fatores de risco para doenças cardíacas. Adotar hábitos saudáveis é essencial.

A hipertensão arterial sistêmica, conhecida popularmente como pressão alta, é um dos principais problemas de saúde pública no mundo. Quem convive com a doença, sem tratamento adequado, corre maior risco de desenvolver doenças do coração, como infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral (AVC) e insuficiência cardíaca, além de outras enfermidades, como insuficiência renal.

“A pressão alta, infelizmente, não tem cura, mas pode ser controlada com o tratamento adequado, que é feito com o uso regular de medicamentos, prescritos pelo médico, e com a adoção de hábitos de vida saudáveis”, disse Fernanda Taveira, especialista em nutrição da PROTESTE. 

De acordo com a especialista, a alimentação tem papel fundamental para manter a saúde do coração em dia. Além disso, a 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial, recomenda a prática de atividades físicas, redução do estresse, controle do peso, entre outros. 

A mudança é essencial para manter a qualidade de vida. Atualmente, segundo dados do Ministério da Saúde, 388 pessoas morrem todos os dias no Brasil, por consequências da pressão alta. O cardiômetro, Sociedade Brasileira de Cardiologia, já contabilizava mais de 234 mil mortes no país, apenas nos sete primeiros meses de 2020.

Como saber se tenho hipertensão?

A aferição da pressão arterial é o método indicado para identificar possíveis alterações. Normalmente, essa medição é feita em consultório, mas pacientes que precisam de controle podem também fazer o monitoramento em casa, por meio de aparelhos medidores de pressão.

São considerados valores ótimos aqueles menores ou iguais a 120/80 mmHg (milímetros de mercúrio), ou seja, o popular 12 x 8. Níveis superiores a estes  podem indicar hipertensão arterial sistêmica e exigem controle. No entanto, vale destacar que a aferição deve ser feita em repouso, sem que a pessoa tenha praticado atividades físicas imediatamente antes ou consumido bebidas estimulantes, como derivadas de cafeína. A medição após o consumo de álcool ou fumo também não é indicada. 

Confira a tabela para identificar a hipertensão:

Fonte: Ministério da Saúde.

Alimentação para hipertensos: veja as dicas da PROTESTE

Quem é hipertenso (ou pré-hipertenso) deve adotar hábitos mais saudáveis, para manter a doença sob controle, além de seguir a orientação médica sobre o uso de medicamentos específicos. 

“É fundamental manter o peso adequado, praticar atividades físicas, evitar o consumo de álcool e o tabagismo”, afirmou Fernanda. Além disso, a mudança na dieta faz toda a diferença. Acompanhe as dicas da especialista!

Evite o sódio em excesso

Evite o consumo de alimentos ricos em sódio. A quantidade ideal é de até 5 gramas de sal por dia (ou uma colher de chá). Vale lembrar que além do sal, existem outros alimentos ricos em sódio:

  • carnes processadas (presunto, mortadela, bacon, paio);
  • defumados;
  • queijos (parmesão, roquefort, camembert, cheddar cremoso);
  • temperos prontos, catchup, mostarda, maionese; 
  • sopas, caldos e refeições já preparadas; 
  • vegetais enlatados como palmito, ervilha, milho, picles, cogumelos e azeitonas;
  • biscoitos, pastel, pizzas, batatas fritas, salgadinhos industrializados, amendoins, manteiga e margarina.

Prefira alimentos ricos em potássio

O potássio não é famoso somente para a prevenção de câimbras. Ele é fundamental no controle da pressão arterial. Já foi demonstrado, inclusive, que uma dieta rica em potássio é capaz de suprimir a hipertensão causada pelo consumo excessivo de alimentos ricos em sódio. Veja a lista (em ordem decrescente) dos alimentos que contêm a substância:

  • sementes de girassol, uva passa (sem semente), amêndoas, espinafre, abacate, aveia, batata, banana-prata, beterraba, aipo, brócolis, maracujá, tomate, melão, cereja, milho verde, laranja, ameixa, vegetais, leguminosas, cereais integrais. 

Aposte em alimentos ricos em cálcio

A dieta pobre em cálcio pode levar ao aumento da pressão. Portanto, invista nos alimentos que contêm cálcio, como queijo cottage, amêndoas, leite de vaca, iogurte, avelã, castanha do Brasil, espinafre, tofu, beterraba, sardinha, ameixa seca, ovo cozido, gérmen de trigo, laranja, abóbora, banana.

Consuma fontes de magnésio

O magnésio inibe a contração dos vasos, incluindo artérias e veias do sistema cardiovascular, e por isso contribui para o controle da pressão. As melhores fontes são: 

  • farelo de trigo, semente de abóbora, castanha do Brasil, amêndoas, nozes, grão de bico, semente de girassol, aveia, arroz integral, granola, espinafre, ervilha em vagem, quiabo, uva passa (sem semente), mandioca, couve, lentilha, camarão, agrião, beterraba, abacate, figo e leite de vaca.

Reduza a cafeína

Evite o consumo de alimentos ricos em cafeína, tais como refrigerantes, bebidas energéticas, achocolatados. Substitua o achocolatado por cacau em pó. O café, em doses habituais, não tem sido relacionado à maior incidência de hipertensão.  

Seja associado à PROTESTE e tenha acesso a conteúdos exclusivos. CADASTRE-SE arrow_right_alt