Supermercado ou delivery: como se proteger do coronavírus

Supermercado ou delivery: como se proteger do coronavírus

Especialista da PROTESTE ensina como higienizar alimentos e embalagens após a volta do supermercado ou ao usar serviços de delivery para se proteger do coronavírus.

A quarentena já passou a fazer parte das nossas vidas. Ainda assim, existem dúvidas quanto a alguns procedimentos que devemos adotar para evitar contaminação pelo coronavírus. Por exemplo, nas idas ao supermercado, que permanecem necessárias para os que não têm acesso a serviços de delivery. Nesse caso, como o consumidor deve fazer para reduzir a possibilidade de ser contaminado? Quais os cuidados tomar? E quem está usando serviços de delivery, como deve se proteger? Para tirar essas dúvidas, conversamos com a coordenadora do Centro de Competência de Saúde e Alimentação da PROTESTE, Pryscilla Casagrande.

Que cuidados devemos tomar ao ir no supermercado fazer compras?

Devemos lembrar que os supermercados recebem um grande fluxo de pessoas diariamente. Então precisamos tomar alguns cuidados, inclusive na escolha dos alimentos. Por exemplo, manter distância de pelo menos um metro e meio de outras pessoas, evitar tocar em alimentos que não serão comprados, e evitar colocar as mãos no rosto durante as compras até que se possa higienizá-las novamente. É importante também só comprar alimentos que estejam em embalagens lacradas e ainda usar a sua própria sacola reutilizável. Caso não tenha, quando chegar com as compras, descarte as sacolas plásticas, se possível do lado de fora da residência. E não se esqueça de usar a máscara, você pode inclusive produzir a sua em casa.

Como deve ser feita a higienização dos alimentos?

Independentemente do momento que estamos vivendo, as recomendações de higiene e limpeza são as mesmas e devem ser seguidas criteriosamente. Bancadas, pias, louças e demais utensílios devem estar sempre limpos e secos, sem resíduos de alimentos. Geladeiras, freezers, fornos, fogão e demais eletrodomésticos devem ser limpos e higienizados com regularidade, com água, sabão e sanitizantes ou água sanitária. O mesmo vale para as paredes, chão e teto. Esses procedimentos evitam a presença dos microrganismos indesejáveis na cozinha, inclusive o coronavírus, e evitam a contaminação cruzada, ou seja, transferência de microrganismos de alimentos ou superfícies contaminados para alimentos não contaminados.

Como armazenar os alimentos?

Para guardar os produtos, se possível, retire a embalagem original e armazene-os em potes com boa vedação. Para produtos que possuem embalagem secundária, como os congelados (pizza, lasanha, etc), retire e descarte a embalagem externa de papel (secundária), higienize a embalagem interna (primária) e armazene no congelador. Higienize tudo com álcool gel 70%, se tiver, antes de armazená-los na geladeira, no congelador ou no armário. Caso a embalagem seja de plástico, o ideal é lavá-la com água e sabão, com o cuidado de verificar se a embalagem não possui pequenos furos por onde possa passar água e sabão para o alimento. Além disso, observe sempre a data de validade antes de consumir os produtos.

lavagem alimentos
Outros cuidados para se proteger do coronavírus

Como fazer com frutas, verduras e legumes?

Lave e desinfete sempre as frutas, verduras e legumes antes de guardá-las. Para isso, retire as folhas estragadas e lave o restante em água corrente. Para uma melhor limpeza, utilize um recipiente limpo e misture uma colher de sopa de água sanitária em um litro d’água. Mergulhe os alimentos e deixe-os por 15 minutos ou utilize produtos próprios para este fim. É importante ler o rótulo desses produtos e verificar o tempo e a concentração indicados pelo fabricante. Após a desinfecção, enxágue-os novamente em água corrente, seque bem e guarde. No caso específico da banana, sugiro higienizar as mãos logo após o consumo da fruta, apesar de não haver estudos que comprovem a transmissão do coronavírus pela ingestão de alimentos. Nas demais frutas, retire a casca antes de consumi-las para reduzir a ingestão de agrotóxicos.

E no preparo dos alimentos, quais cuidados devem ser tomados?

Evite comer alimentos crus. O ideal é que todo alimento ao ser preparado chegue a pelo menos 70°C (nas partes interna e externa). A alta temperatura ajuda a eliminar microrganismos mais resistentes. Se o alimento estiver cru por dentro, significa que não atingiu a temperatura ideal para inativar ou destruir os microrganismos. Neste caso, há um alto risco de contaminação, o que pode desencadear uma infecção gastrointestinal.

O que fazer com os produtos não alimentícios?

Os outros produtos devem seguir basicamente as mesmas orientações. Ou seja, embalagens devem ser lavadas com água corrente e sabão e, se possível, usando o álcool 70%. Vale lembrar que o vírus pode persistir por poucas horas ou vários dias em uma superfície, dependendo do tipo de superfície, temperatura e umidade do ambiente. Mas há algumas controvérsias em relação a esses estudos, não sendo possível determinar ainda com precisão quanto tempo o vírus fica ativo nesses locais. Por isso, a importância da higienização.

delivery
Delivery requer cuidados extras

O vírus pode ser transmitido pela ingestão de alimentos?

Não há nenhuma evidência a esse respeito. A Autoridade Europeia de Segurança dos Alimentos (European Food Safety Authority – EFSA), quando avaliou esse risco em outras epidemias causadas por vírus da mesma família, concluiu que não houve transmissão por alimentos.  De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a OMS, o comportamento do novo coronavírus deve ser semelhante aos outros tipos da mesma família. Assim sendo, ele precisa de um hospedeiro – animal ou humano – para se multiplicar. Além disso, esse grupo de vírus é sensível às temperaturas normalmente utilizadas para cozimento dos alimentos (em torno de 70ºC).

Muitas pessoas têm optado pelo delivery, qual é o procedimento mais seguro nesse caso?

O consumo de refeições prontas entregues em domicílio, retiradas em balcões de atendimento ou por drive-thru requer cuidados extras. É recomendado optar por empresas de confiança e fazer a encomenda diretamente, por telefone ou aplicativos, evitando a interferência de intermediários desconhecidos. Sempre que possível, opte por receber os produtos em embalagens de papelão, pois acredita-se que o vírus resiste por menos tempo em papel do que em plástico ou alumínio. Além disso, deve ser feita a desinfecção das embalagens antes de abri-las, com água e sabão ou álcool em gel. E não consumir produtos com embalagem violada.

E quais cuidados tomar com os entregadores?

Pesquisadores recomendam evitar o contato pessoal com o entregador das refeições. As empresas de entregas a domicílio estão recomendando que os entregadores higienizem suas mãos com álcool em gel, um cuidado que diminui o risco, mas não o reduz a zero, além de utilizarem máscaras. O pagamento deve ser preferencialmente feito remotamente, por aplicativo. Deve-se evitar manusear dinheiro e ter cautela com uso de máquinas de cartão de crédito, que podem estar contaminadas. E sempre higienizar as mãos ao finalizar.

Quer saber mais sobre produtos, serviços e relações de consumo durante a pandemia? Confira nossa página especial sobre o coronavírus.

Para mais informações, acesse o especial coronavírus.

Saiba mais