Saiba se a airfryer faz mal para a saúde

Saiba se a airfryer faz mal para a saúde

Descubra se a airfryer faz mal para a saúde e saiba tudo que você precisa avaliar antes de comprar esse eletrodoméstico.

O desenvolvimento de novos eletrodomésticos trouxe benefícios que são muitas vezes necessários para a vida moderna. Como a batedeira elétrica, que permite fazer bolos e pães mais rápido, o micro-ondas, que esquenta um alimento em poucos minutos, e a airfryer, que permite fritar alimentos sem precisar acrescentar óleo. 

Falando em airfryer, a queridinha entre os eletrodomésticos, ela chegou no Brasil em 2011 e desde então surgiram diversos modelos com potências diferentes, tamanhos e outras características variadas. 

Com a popularização desse eletrodoméstico, que revolucionou a forma de fritar alimentos, também surgiram polêmicas sobre seu uso e preocupações médicas em relação ao consumo de frituras. Se você já ouviu em algum lugar que airfryer faz mal para a saúde, continue lendo este conteúdo para tirar todas as suas dúvidas e descobrir se isso é mesmo verdade.

A seguir, falaremos tudo que você precisa saber sobre a airfryer, a tecnologia que permite fritar sem óleo. Veja como funciona uma fritadeira sem óleo, se há riscos em utilizá-la e como escolher o modelo ideal!

Banner canal Reclame

O que é airfryer?

A airfryer é, na verdade, a tecnologia criada pelo americano Chad S. Erickson em 1989, que tem a capacidade de fritar os alimentos através do ar quente, sem precisar acrescentar óleo. Contudo, o termo se tornou popular no mundo todo e, hoje em dia, as pessoas se referem à fritadeira sem óleo como airfryer. 

Portanto, o eletrodoméstico nada mais é do que uma fritadeira sem óleo, que tem como proposta substituir o método tradicional de fritura, que utiliza óleo de cozinha ou outra gordura para fritar os alimentos. 

Como funciona uma airfryer?

O funcionamento de uma fritadeira sem óleo é bastante simples: o calor é gerado por uma bobina, que fica na parte superior do equipamento, e é soprado por ventoinhas em alta velocidade. 

A cesta onde os alimentos são colocados é toda furada, o que permite que o calor circule de forma uniforme dentro do eletrodoméstico. Dessa forma, o alimento recebe o choque de calor diretamente e em todos os lados, perdendo a umidade na crosta, sendo que essa ação faz com que ele fique com aquela característica de fritura, em vez de assado.

Para entender em detalhes como funciona uma airfryer, veja a seguir um vídeo com tudo que você precisa saber para usar esse eletrodoméstico com dicas bem legais:

Acrilamida e airfryer: o que você precisa saber

A acrilamida é um composto químico (C3H5NO) produzido industrialmente e usado em produtos como corantes, plásticos, produtos químicos para tratamento de água e produtos cosméticos. Nos alimentos, ela se forma a partir de uma reação entre um aminoácido (asparagina) e açúcares (glicose, frutose), que estão presentes naturalmente nos alimentos, e surge quando alguns são cozidos, fritos ou tostados em altas temperaturas, acima de 120° C.

acrilamida formação novo

E quanto à saúde, realmente ela pode causar câncer?

Bom, essa substância demonstrou ser carcinogênica (com potencial cancerígeno) em ratos e camundongos e, por isso, é considerada um potencial carcinogênico para humanos. Já foram conduzidos inúmeros estudos acerca do assunto, inclusive alguns locais, como o estado da Califórnia, já a listam como substância química conhecida por causar câncer ou toxicidade reprodutiva, como defeitos congênitos e outros danos reprodutivos.

E no Brasil? A Anvisa afirma que hoje não há regulação ou estudos para algum tipo de controle da acrilamida presente nos alimentos e recomenda que não existem níveis seguros para ingerir a substância. Portanto, ela pode sim ser um risco para a saúde.

Então, onde normalmente a acrilamida pode ser encontrada? Principalmente nos alimentos ricos em amido, como batatas, pães e torradas, bolos, os industrializados como biscoitos doces e salgados, batatas chips, salgadinhos, além aquela casquinha crocante da fritura, o torrado da carne bem passada e, ainda, o cheiroso cafezinho, que são deliciosos, para muitos de nós, mas que, nutricionalmente falando, não são tão interessantes assim.

Por isso, o que parece simples como assar o alimento no forno ou na airfryer, ou ainda fritar a querida batata frita no óleo ou na fritadeira elétrica, também não elimina todos os malefícios à saúde. Portanto, o problema não está especificamente no uso da airfryer para a cocção do alimento, já que a acrilamida pode ser desenvolvida utilizando outros meios para cocção.

E como “fugir” dessa? Realmente, o melhor caminho é buscar sempre uma alimentação saudável, reduzindo o consumo de industrializados, já seria um grande passo para evitar a exposição à substância.

Outras recomendações importantes:

  • não deixar que o alimento seja torrado até ficar com a cor perto da marrom. A preferência é a coloração próxima ao amarelo dourado;
  • optar pelo cozimento no vapor, sempre que possível;
  • prefira os alimentos feitos em casa, especialmente as frituras;
  • substitua os alimentos fritos por cozidos.

Dica: Conheça os benefícios do açaí e como consumir esse alimento

E o micro-ondas, ele pode causar câncer?

Essa não é a primeira vez que um eletrodoméstico é citado como uma preocupação de saúde. Você sabia que o micro-ondas também ganhou fama de ser cancerígeno? Mas calma que isso não passa de um mito

Assim como no caso da airfryer, não há evidências científicas de que o uso do micro-ondas seja o responsável por oferecer novos riscos à saúde. Portanto, tanto o micro-ondas quanto a airfryer são eletrodomésticos que podem ser utilizados no dia a dia para a preparação dos alimentos.

Você conhece os riscos dos alimentos gordurosos?

Outra preocupação com a saúde no caso das frituras é o excesso de gordura. A airfryer surgiu justamente com essa proposta, de eliminar o uso do óleo e outras gorduras para fritar alimentos.

Você sabia que as substâncias gordurosas, geralmente utilizadas no preparo de frituras, são responsáveis por aumentar o risco de diversas doenças e problemas de saúde? Veja a seguir os principais perigos causados pelo excesso de gordura.

Obesidade

A obesidade é um dos perigos associados ao consumo excessivo de calorias, ou seja, quando a disponibilidade energética é muito maior do que o gasto, levando ao acúmulo de gordura corporal e ganho de peso excessivo, que gera prejuízos à saúde. Quando consumidas de forma adequada, boas fontes de gorduras, que podem ser encontradas naturalmente em alimentos como óleos vegetais, castanhas e abacate, são metabolizadas pelo organismo. Vale lembrar que o excesso de carboidratos também pode gerar a formação de gordura. 

Alimentos muito calóricos como gorduras e carboidratos devem ser consumidos com moderação, já que o excesso dessas substâncias possui um grande risco de gerar o ganho de peso, que pode levar a um quadro de obesidade.

Doenças cardiovasculares

Doenças cardiovasculares como hipertensão e doença coronariana também podem ser desenvolvidas com o consumo excessivo de gordura. Nesse caso, pode aumentar a tendência de formação de placas de ateromas nas artérias, gerando prejuízos para a circulação sanguínea.

Dica: Conheça os perigos do refrigerante para a saúde

Cuidado com os alimentos ultraprocessados

Embora a airfryer permita fritar alimentos sem utilizar óleo ou outra gordura, você precisa saber que nem todos os alimentos preparados no eletrodoméstico são saudáveis. Opções ricas em açúcar, gordura, sódio e com baixo valor nutricional continuam sendo prejudiciais, mesmo preparadas sem a adição de algum óleo.

Por isso, você deve ter cuidado com os alimentos ultraprocessados, pois eles podem ser desbalanceados nutricionalmente e, frequentemente, são ricos em ingredientes como gorduras saturadas, açúcares e sódio, em detrimento de nutrientes como fibras e vitaminas, que seriam encontrados nos alimentos in natura ou minimamente processados e teriam um bom aproveitamento pelo organismo. Esse é o caso dos embutidos, como salsicha e linguiça, além dos hambúrgueres, refrigerantes, refeições instantâneas, entre outros. 

Esse lembrete é importante porque muitas pessoas acreditam que qualquer alimento, quando preparado sem óleo em uma airfryer, é saudável. E isso não é verdade! É fundamental que o consumidor esteja sempre atento às informações nutricionais dos alimentos que irá consumir.

Como escolher uma airfryer?

Escolher uma airfryer pode ser um desafio diante de tantos modelos e marcas que existem no mercado. Esse eletrodoméstico possui diversas características que você precisa avaliar na hora de escolher a melhor opção. 

Avaliar cada um desses itens pode ser bastante difícil, já que alguns exigem uma busca detalhada por características da fritadeira sem óleo. Por isso, a PROTESTE facilitou o seu trabalho e realizou um teste comparativo entre os principais modelos de airfryers no mercado. 

O teste realizado pela associação avaliou características como ruído, consumo de energia, desempenho e segurança do consumidor ao utilizar cada um dos modelos de airfryer selecionados.

Confira o resultado do nosso teste comparativo com as airfryers e faça a melhor escolha de acordo com suas necessidades. 

Também separamos a seguir alguns pontos importantes que você precisa avaliar antes de escolher a sua airfryer:

Airfryer preta

Sistema

Uma das características que você notará logo de cara entre os modelos que existem no mercado é o sistema do eletrodoméstico. Alguns funcionam de forma analógica, com botões, e outros funcionam de forma digital, com display em touch screen. 

Nesse caso, a escolha depende principalmente da preferência de cada consumidor. Se você gosta de um design mais moderno, a airfryer digital pode ser a melhor opção. Mas se você prefere os botões, então o modelo analógico pode ser a opção ideal. 

Guia do direito do consumidor

Tamanho

Outra característica que varia entre as fritadeiras sem óleo é o tamanho. Hoje em dia, as opções vão de 2L até 7L, dependendo da marca e modelo. Quanto maior é o eletrodoméstico, mais comida pode ser colocada para fritar de uma só vez. Por outro lado, o consumo de energia também é maior e, muitas vezes, desnecessário, caso você não tenha necessidade de colocar muitos alimentos na airfryer. 

Por isso, você deve avaliar qual é o tamanho ideal para atender as suas necessidades, tendo como base as preparações do dia a dia e a quantidade de pessoas que moram com você. 

Por exemplo, uma pessoa sozinha ou um casal que frita pouca comida durante o dia pode ter um melhor custo-benefício com uma airfryer de 2L, pois ela vai fritar o alimento rapidamente. 

Já no caso de uma família com mais membros, que prepara uma grande quantidade de comida diariamente, pode ter um melhor custo-benefício ao utilizar uma airfryer de 7L. Em vez de preparar os alimentos em várias etapas, a maior capacidade da airfryer permite colocar tudo de uma vez e fritar os alimentos em menos tempo. 

Versatilidade

Alguns modelos vêm com acessórios para fazer diferentes tipos de receitas, como bolo, por exemplo. Além disso, existem materiais diferentes para o cesto que vai o alimento, que podem ser antiaderente ou de alumínio. 

Com o cesto antiaderente, o consumidor vai ter mais facilidade no preparo e na limpeza, já que o alimento costuma grudar menos, porém esse material é mais frágil, podendo perder suas características se for mal utilizado.

Dica: Saiba quais são os benefícios do milho para a saúde

Saiba como a PROTESTE pode ajudar você

Confira outros testes comparativos realizados pelos nossos especialistas. Nós testamos os principais produtos que fazem parte do seu dia a dia, de eletrônicos a itens alimentícios. Nossas avaliações são realizadas em laboratórios credenciados e levam em consideração aquilo que é importante para você, de acordo com cada categoria avaliada.

Envie sua reclamação contra um fornecedor de produto ou serviço para a plataforma Reclame. O canal encaminha sua solicitação diretamente para a empresa em busca de uma solução para o seu problema. Nossos associados ainda contam com o auxílio de especialistas em direito do consumidor. Acesse o site ou ligue para 4020-7753.

Continue no MinhaSaúde para conferir outros artigos sobre saúde e bem-estar. Visite os blog ConectaJá e SeuDireito para acompanhar as novidades sobre tecnologia e direito do consumidor.